expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Pastor Márcio Valadão responde ao Bispo Edir Macedo sobre polêmica reportagem do “cair no espírito” da Record

A polêmica reportagem da TV Record sobre o movimento “cair no espírito” ainda continua rendendo entre grandes líderes neopentecostais.
Em resposta ao Bispo Edir Macedo, o Pastor Márcio Valadão, líder da Igreja Batista da Lagoinha, afirmou durante um culto, com citações bíblicas que já perdeu a conta de quantas vezes “caiu”: “Eu não sei quantas vezes caí, mas quero cair mais, não há nada de demônio na minha vida”.
O discurso de Valadão foi bastante duro contra o líder da Igreja Universal do Reino de Deus, cujos Bispos que apresentam um programa de TV da igreja já haviam afirmado que a filha do Pastor, Ana Paula Valadão, líder do Ministério Diante do Trono, era endemoniada. “O importante é o que Deus diz a seu respeito”, disse o Pastor, que classificou de insignificante as opiniões de um “assassino”.
Márcio Valadão usou o termo “assassino” para se referir à Macedo, por causa da postura do Bispo em defender o aborto. Admitindo que determinadas pessoas podem opinar contra o movimento “cair no espírito”, Valadão completou seu raciocínio: “Quem pode falar é quem tem autoridade. Agora, assassinos falarem? Quem levanta a bandeira do aborto vai carregar nas mãos o sangue dessas crianças”, afirmou Márcio Valadão.
Fonte: Gospel+

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Globo poderá ter programa evangélico em 2012

O grande mercado musical evangélico está levantando projetos na Globo para lançar programa gospel a partir do ano que vem. A atração seria voltada para as canções evangélicas e a Globo já está sondando possíveis cantoras do meio gospel para dirigirem a programação.
A “Santa Missa” é o único programa religioso exibido atualmente pela emissora, no entanto, a criação de uma atração evangélica seria um marco inédito na história da Rede Globo.
Uma outra atração gospel, o “Festival Troféu Promessas”, já está confirmada pela Globo que será exibida como especial de fim de ano. O evento acontecerá no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro, e exibido no dia 18 de dezembro das 13h às 14h10.
As atrações que vão se apresentar no evento são: o Ministério de Louvor Diante do Trono, Ludmila Ferber, Fernandinho, Fernanda Brum, Régis Danese, Pregador Luo, Eyshila, Davi Sacer e Damares.
O Festival também vai premiar os melhores grupos e cantores evangélicos disputados entre 9 categorias. A escolha será feita através de votação de internautas no site do evento.
O diretor de núcleo da Rede Globo, Luis Gleiser, comentou sobre a importância da música gospel no cenário musical brasileiro. “Não podemos de maneira nenhuma ignorar as expressões da cultura do nosso povo. E a música evangélica é um fenômeno dessa imensa força que se expande sem cessar. Da mesma maneira abrimos para música sertaneja há 20 anos, e para a o rock brasileiro há 30, vamos fazer agora com a música gospel”.
Ana Paula Valadão é uma das possíveis cantoras sondadas pela direção da Globo para comandar o programa do ano que vem. Hoje, o Ministério Diante do Trono faz parte da Som Livre e a participação de Ana Paula no fim do ano passado no “Domingão do Faustão” chamou a atenção da emissora pela sua desenvoltura e carisma com o público.
Mas quem não parece nada satisfeito com essa investida da Globo é o Bispo Edir Macedo da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da Record, que há algum tempo fez várias críticas aos cantores do meio evangélico. Em seu programa de rádio, em meados de Setembro, Macedo falou que praticamente 99% dos cantores evangélicos são perturbados e “endemoniados”.
Fonte: Verdade Gospel.

Teatro Set me Free - Castting Crowns


Em depoimento ao blog do Bispo Macedo, Marcelinho Carioca afirma que doou R$ 86 mil para a “Fogueira Santa” da Universal e ganhou R$ 2 milhões


Em um depoimento ao blog do Bispo Edir Macedo, o ex-jogador Marcelinho Carioca afirmou que a “Fogueira Santa” promovida pela Igreja Universal do Reino de Deus mudou sua vida. No vídeo, Marcelinho afirma que antes, era um severo crítico da IURD. “Quando falavam pra mim sobre dar dízimo, ofertar, eu falava: são todos malandros, oportunistas, porque querem tirar o dinheiro do povo. Não vai ser a igreja que vai tirar o meu dinheiro”, conta o ex-jogador.
Citando sua origem, ele diz que na juventude, queria o que todos jovens desejam: “Minha vida foi extremamente difícil, com uma origem pobre, humilde. E sempre falavam de Jesus pra mim, e eu nunca entendia nada, não queria saber porque isso não interessava. Interessava em primeiro lugar era ter fama, sucesso e dinheiro. As três coisas que eu mais queria na minha vida, e que a maioria dos jovens querem através do esporte”.
Em defesa da Universal, Marcelinho ressalta que, antes de participar da “Fogueira Santa”, criticava as práticas da igreja. “Antes eu jogava pedra, apontava o dedo e criticava. Hoje eu abraço, e vejo o quanto mudou a minha vida porque na primeira vez que eu fiz a Fogueira Santa, doei mais de 80 mil. Eu lembro quando o Pastor falou: ‘quem crer hoje, Jesus Cristo vai dar 100 vezes mais’. Quando eu fiz o cheque, meu pai me deu uma cotovelada e saiu da igreja, disse que eu era fanático”, afirma Marcelinho Carioca.
Ele conta que o que o motivou foi um processo trabalhista que estava perdendo contra o seu ex-clube. “Eu tinha um processo trabalhista contra o Sport Club Corinthians Paulista, aonde eu já tinha perdido na segunda instância, e automaticamente eu perderia na terceira. Estava devendo 7 milhões e 856 mil reais. Eu cria que venceria essa batalha, e falava isso pros amigos e familiares, que diziam que eu era louco, maluco, pirado. Eu respondia que eu sabia em quem estava crendo”, relata o ex-jogador.
Na sequência de seu relato, Marcelinho descreve o que aconteceu, segundo ele, após participar da campanha da Universal: “Eu fiz aquela Fogueira Santa, e o Corinthians me chamou para fazer um acordo. Eu não paguei nenhum real, ganhei um contrato de dois anos, e sete meses depois, quando saí, ganhei uma indenização de 2 milhões de reais. Investi 86 mil reais e ganhei 2 milhões, sem ter gasto nenhum centavo”.
A “Arca Universal” divulgou recentemente, uma matéria sobre jogadores de futebol de sucesso, destacando a importância da fé para esses atletas, e mostrando um relato de um ex-jogador de futebol que afirma não ter alcançado o sucesso que esperava por falta de fé.
Na matéria, a trajetória do jogador Rômulo Caldeira, lateral direito da Fiorentina, um tradicional clube italiano, é descrita como uma história de superação, talento e fé. “Eu aprendi a sacrificar para Deus, a fazer a vontade dEle no altar. Tudo aconteceu para que meu sonho não se concretizasse. Sofri perseguições, tentaram apagar (matar) o meu brilho, mas quando conheci a Deus, passei a buscá-Lo na Igreja Universal do Reino de Deus e as portas se abriram”, afirma Rômulo.

Fonte: Gospel+

Pastor Silas Malafaia é chamado de explorador de trabalho infantil por contratar cantor de 12 anos para sua gravadora


A coluna Radar, da Revista Veja, escrita pelo jornalista Lauro Jardim publicou matéria sobre a contratação do jovem cantor Jotta A, que se destacou no programa Raul Gil, pela gravadora Central Gospel, do Pastor Silas Malafaia.
Nos comentários da notícia, internautas acusaram o Pastor Silas Malafaia de exploração do trabalho infantil, pois Jotta A tem apenas 12 anos de idade. Em seu perfil no Twitter, Malafaia respondeu às acusações, que classificou de preconceituosas.
Segundo a matéria, a gravadora vai lançar em 2012 o primeiro cd do cantor, com tiragem de 500 mil cópias, quantidade que recentemente foi alcançada apenas pela cantora sertaneja Paula Fernandes e pelo Padre Marcelo Rossi.
A projeção é que Jotta A fature com sua porcentagem na venda dos CD’s a quantia de R$ 1,5 milhão. A Central Gospel venceu uma disputa com a multinacional Sony, que havia oferecido R$ 1 milhão para que Jotta A lançasse seu álbum pelo selo gospel da gravadora.
Fonte: Gospel+

sábado, 22 de outubro de 2011

quinta-feira, 20 de outubro de 2011